Logaritmos, quem não os ama?

2 comments


Hoje acordei de jeito. Levantei com vontade de viver. Mas de levantar de cadeira, sair da platéia e participar do curso das coisas. Cansei de esperar pela sexta-feira, esquecer da segunda, da terça, quarta e quinta, de sofrer nos sábados e domingos porque o próximo fim de semana estava muito longe.

A vida é um tesão! 
Ok, acordar cedo não era bem o que queria mas pô, acordei, tô vivo! Longe de mim por na mesa o velho clichê do "Viva a vida como ela é" e todas aquelas mensagens by power point que recebemos via email. Enfim.




Tomei fôlego, percebi que até as aulas mais tediantes me fazem mais criativo. Fazer 100 minutos de uma aula sobre motores elétricos algo suportável exige no mínimo muita sagacidade, e o melhor, sempre inovando.
Foda-se as 63 pessoas que concorrem comigo a uma vaga na universidade. Me deixa morrer de tanto estudar e acreditar, pelo menos até o dia da prova, que serei o primeiro colocado geral. Como é chato estudar matemática, mas permita-me me achar o cara mais foda quando consigo resolver uma questão de logaritmos. Posso?


Eu quero sofrer, sofrer de amor. Sentir pavor. Se não há outro caminho para a paixão a gente encara! Bobagem é se iludir com a pessoa perfeita, o relacionamento impecável. Mas lógico, não nos contentemos com qualquer coisa. Aliás, mamãe diz que sou um partidão.
Sou tradicional. Nego até a morte render-me a esses discursos modernos de independência emocional. Desculpa, não dá! EU SOU DEPENDENTE! Carente, do latin: que pede cafuné, impertinente.
Admita, quem não é?
Ah sim, não me deixem esquecer do ciúmes, do saudosismo, da velha e boa nostalgia.


Enfim, hoje acordei meio Cambará, Buenas e me espalho, nos pequenos dou de prancha e nos grandes dou de talho!  Chocilei e despertei tipo que Marcelo Rubens, é o Paiva! Com uma singela diferença, ele escreve, eu finjo. Mas de bobo e dissimulado todo mundo tem. Só as porções de cada um é que "vareia".

Malemolência, quem a quer, quem a tem?
Me deixa conformar que sou inconformado. Idealista, dá licença! Enrolado, ocasionalmente. Sempre que preciso, ou não.
Quero parafrasear, ser cético, crédulo, inocente, ruim.

Viver é massa cara!
Bom é ser assim, sem nexo.

2 comments

Wilminha Mendes 11 de maio de 2010 17:01

Realmente vc acordou bem para as palavras,e viver é muito massa,...mas eu vou pedir algumas emprestadas "Ninguém pode voltar atrás e fazer um novo começo,mas qualquer um pode recomeçar,e fazer um novo fim".chico chavier.É verdade agora aparece frases dele em todo canto,mas é bonito,e tudo o q é bom e bonito temos q acolher...bjo grande amei teu blog

Mel 16 de maio de 2010 00:16

notívago matinal é isso mermo!

como diz mestre anitelli:
"da fruta eu tiro a polpa
da puta eu tiro a roupa
da luta não me retiro
me atiro do alto e que me atirem no peito
da luta não me retiro!"

a vida é um tesão - que saudade que me deu do vítor!!

e, esse empolgamento todo no comentário foi inspiração do teu texto que tá muito..hann;... inspirado!!

segue assim!